domingo, 18 de outubro de 2015

A minha orquídea é uma Cattleya walkeriana...

Primeiramente quero pedir desculpa pela demora, estava viajando e fiquei impossibilitada de fazer a matéria. Inclusive coloquei algumas fotos no meu Instagram (É só clicar na palavra e será direcionado para as fotos) , pois esta viagem, foi mais um sonho realizado.
Seguindo a matéria anterior, onde eu dava dicas de como cultivar orquídeas dentro de casa, vou falar um pouquinho mais sobre isso... mas principalmente, conforme prometido, vou falar o que você precisa saber para cultivar a Cattleya walkeriana, mas mesmo que a sua orquídea não seja essa, algumas dicas são sempre úteis, ok?!

Então "bora" começar a escrever...


A Cattleya walkeriana chama a atenção no mundo todo, suas flores são lindas e podem ser encontradas em várias cores e tons: alba (branca), semialba(branca com o labelo lilás), coerulea (de um tom azulado), rosada, lilás, púrpura, vinho...

Algumas Características da Cattleya walkeriana:
- Aprecia boa umidade do ar;
- Gosta de muita luminosidade, mas sem sol direto;
- Não gosta de substrato encharcado;
- Resiste a diferentes temperaturas, mas tem preferência por temperaturas entre 20 e 35 graus;
- Gosta de vaso que facilite a aeração, ou seja, com boa drenagem;
- Deve ser plantada em substrato que não absorva água por muito tempo;
- Entre outras...



C. walkeriana manhattan blue
Quando a sua orquídea chegar em casa...
É preciso trocar de recipiente?
Se sua orquídea veio em um cachepô sem furos... você já aprendeu aqui que toda orquídea morre afogada se ficar imersa na água. Então, é preciso tirá-la daí, do contrário, quando aguar, a água ficará retida.
Você pode escolher replantá-la em um vaso de barro, pois devido a secagem rápida, é um dos seus materiais preferidos, mas também poderia escolher um cachepô de madeira, que é muito comum no cultivo das Vandas.
Eu, se fosse escolher como minha preferência, optaria por um vaso pequeno de barro ou plástico com muitos furos de drenagem, em que ela fique justa, mas que haja um pouco de espaço para crescer. Ele não deve ser muito alto, para facilitar a secagem do substrato e, deve conter vários furos para escoar a água da rega.
Importante! A walkeriana detesta substrato constantemente encharcado, por isso um vaso com boa drenagem é importante.
Os vasos onde costuma ser mais cultivadas são os de barro e o cachepô de madeira, mas pode ser cultivada em vasos de plástico (com boa frenagem), em casca de peroba ou aroeira, painel de pedra.... Ela é bem adaptável.

Ambiente:
Escolha um local que seja arejado, que tenha uma leve brisa, mesmo que seja apenas por uma janela.
O local precisa ter ótima luminosidade, mas nunca raios solares diretos, pois suas folhas são delicadas e podem se queimar facilmente.


Cattleya walkeriana alba
Em que substrato devo plantá-la?
Você só terá que se preocupar com o substrato se for cultivá-la em vasos, ok? Placas de casca de árvores, árvores vivas e painéis de pedras dispensam substrato.
O material que você pode usar para plantá-la será o mesmo para qualquer orquídea epífita, pois na natureza ela é facilmente encontrada entre pedras ou em árvores.
É importante você saber que ela é bastante adaptável! 

Pode escolher entre casca de pinus, chips de coco, caroço de açaí, casca de arroz carbonizada, pedra brita esterelizada... e até um mix, ou seja, a mistura de mais de um desses materiais, como: casca de pinus + isopor + carvão vegetal + sphagnum ....
Eu recomendaria fazer uma dobradinha: vaso de barro + um substrato que também não retenha água por muito tempo. Ex: casca de pinus média + carvão vegetal + isopor +  pedra brita (esterelizada anteriormente com água sanitária, mas lave bem para retirar tudo, ok?), misturar tudo e forram o fundo com pedra brita, também podendo jogar um pouco por cima de tudo.

                                                 Dois exemplares de Cattleya walkeriana semialba

O que mais eu posso fazer?
Como eu falei lá em cima... a walkeriana gosta de substrato com boa drenagem, mas também gosta de boa umidade do ar (cerca de 50%).
Na natureza é muito comum acharmos essa espécie em pedras ou árvores próximas de lagos, rios e região pantanosa, ou seja, em ambientes com ótima umidade do ar.
O que podemos fazer nesse sentido?
Para melhorar a umidade, sem deixá-la encharcada, basta colocar embaixo do vaso um prato com um pouquinho de água e bastante pedriscos ou pedra brita. É importante assegurar que terá pedrisco/pedra suficiente de forma que o fundo do vaso não encoste na água.
Vá repondo a água conforme o prato secar
Essa diquinha vai ajudar a manter umidade sem encharcar as raízes. Evitando assim tanto o ressecamento e a desidratação, como o apodrecimento das raízes pelo excesso do contato direto com a água.

Talvez você também se interesse em ler dicas de Miami para aumentar a umidade do ambiente, então é só clicar AQUI.


Como eu faço para regar?
Para garantir que a rega será bem feita... Muitos cultivadores conselham deixar a Cattleya walkeriana imersa em um balde com água (preferencialmente água sem cloro) por cerca de meia hora.
* não use nunca a mesma água para mais de uma orquídea, pois isso pode ajudar na transmissão de doenças e pragas entre elas.
C. walkeriana coerulea
Depois, é só retirá-la do balde e deixá-la escorrer por algum tempo, até parar de pingar água.
Só então recoloque-a sobre o prato com pedriscos.
Repita esse processo de rega por imersão apenas quando o substrato estiver seco.
Vou reforçar novamente que as raízes da walkeriana precisam de aeração, ou seja, se secar entre uma rega e outra.
A ideia de imersão na água é uma forma de garantir que todo o substrato receberá umidade de forma igual.
Ah! Só para reforçar mais uma vez (rsss).... eu nunca recomendo usar essa água para regar outras orquídeas, ok? Isso porque se ela estiver contaminada por algum fungo ou qualquer tipo de doença, por exemplo, irá passar para as demais.


De quanto em quanto tempo regar?
Bom...
Isso depende muito do ambiente, do substrato, do tipo de vaso... mas se for para determinar um intervalo entre as regas, eu diria que no verão irá variar a cada 2 a 5 dias, podendo ser mais ou menos, dependendo da temperatura do dia. E no inverno úmido, algo entre 3 a 10 dias.
Mas o ideal mesmo é tocar no substrato, enfiar o dedo mesmo, para sentir se ele está seco, não só em cima, mas no meio e no fundo do vaso.

Dica: a melhor hora do dia para regar ou adubar sua orquídea walkeriana é nas primeiras horas da manhã ou no final da tarde.



Floração da Cattleya walkeriana:
Geralmente entre os meses de abril e maio, podendo começar um pouco antes ou depois.
As suas flores são lindíssimas e podem durar até 30 dias.
É uma das orquídeas mais conhecidas mundialmente e é bastante apreciada pela sua floração e facilidade de cultivo.

Após a queda das flores... a fase dos brotos:
É muito comum o surgimento de vários brotos, e isso geralmente ocorre próximo ao final de julho, no mês de agosto ou início de setembro.
Nessa fase a espécie precisará ser regada em um intervalo menor de tempo, e você perceberá isso facilmente, pois o substrato se secará mais rapidamente que no restante do ano.
Nessa fase de brotação, aconselho uma adubação de crescimento, mas antes de terminar a postagem falarei mais sobre a adubação, ok?

Divisão da walkeriana, separando as mudas:
Sinceramente, meu conselho é evitar dividir essa espécie. É comum, quando a orquídea está com mais de 6 bulbos, algumas pessoas dividirem e transformarem em duas plantas, mas é prudente informar que a walkeriana é muito sensível a esse processo, mas se mesmo assim você o fizer, interrompa próxima floração, ou seja, no próximo ano, basta cortar a cápsula (espata) que envolve os botões, antes deles começarem a se desenvolver.
E lembre-se de esterilizar, por alguns segundos, a tesoura ou a faca diretamente na chama do fogão, isqueiro ou maçarico, ou por cerca de 30 minutos em água sanitária. Isso de ser feito antes de cortar qualquer parte da planta, ok? Assim, evitamos que ela seja contaminada por vírus, bactérias ou fungos.


Quanto a adubação...
Só comece a adubar depois que ela já estiver “pegada”. Isso leva mais ou menos uns 30 dias.
Quando perceber que houve alguma mudança no crescimento, seja uma nova folha, nova raiz... pode começar a adubar.
Existem vários adubos, e eu aconselho a ler ESSE ARTIGO, que é o principal do blog e exatamente SOBRE A ADUBAÇÃO DAS ORQUÍDEAS.
Mas para quem for iniciante, poderá usar o adubo NPK 10-10-10, que é equilibrado, usado para manutenção.
Aconselho a ler também essas matérias sobre adubação:
Quais os nutrientes essenciais para as orquídeas e para que cada um serve?

Importante... Ainda sobre adubação...
A adubação deverá ser feita até o começo da floração, quando a cápsula (espata) que abriga os botões está começando a se formar.. 
Os botões se abriram? Então, é só suspender e não adubar até cerca de 30 dias após a queda das flores. 
Mas porque suspender a adubação durante a floração? Para evitar que as flores caiam e/ou que a planta aborte os botões, ok?!
Volte a adubar quando as flores caírem e após a dormência (falo sobre isso na primeira postagem sobre adubação).

Outra dica:
Super recomendo aplicar o sulfato de cobre para evitar a podridão-negra, siga sempre as orientações do rótulo do fabricante, mas abaixo fiz um esqueminha para facilitar.

Vocês podem seguir esse esqueminha simples para fazer um calendário de adubação:
- adubo 10-10-10 ou outro que você achar conveniente– na primeira e na terceira semana do mês;
- Sulfato de cobre – na segunda e na quarta semana.
Ou seja, é só intercalar. Na semana que adubar, não aplica o sulfato de cobre e da mesma forma o contrário.

Fique de olho! 
Conheça as doenças e pragas mais comuns da Cattleya walkeriana:
- Fungos.


E aí? 
Gostaram da matéria? 
Se sim, recomende aos seus amigos enviando o link pelo facebook, G+... 
VAMOS PROPAGAR O AMOR PELAS ORQUÍDEAS!

Tem alguma dúvida ou sugestão?
Deixe um comentário aí embaixo... Eu demoro, mas respondo (rsss)

Espero que essas dicas tenham sido úteis!  :)



Fonte das imagens: miguelorchids.wordpress.com

6 comentários:

  1. Orquídeas!!! As minhas flores preferidas! São todas muito lindas! Todas!
    As do meu ramo de casamento... as mais singelas, em branco e lilás... há mais de 46 anos!...
    Deram-me sorte!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Como vc compra seu sulfato de cobre? O meu veio em um saquinho, sem instrução de uso!

    ResponderExcluir
  3. ola gostei munto do seu bloge pois tem dicas munto interesante sobre orquideas

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da matéria e contudo aprendi muito portanto só tenho que lhe agradecer Ed u amo as walqueranas e nobilor mais uma vez obrigada. Continue fazendo alguns comentários

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito da matéria e contudo aprendi muito portanto só tenho que lhe agradecer Ed u amo as walqueranas e nobilor mais uma vez obrigada. Continue fazendo alguns comentários

    ResponderExcluir
  6. Ola amigo tenho algumas walkerianas em casca de peroba e tem umas duas que saiu com duas folhas na ponta isto é normal pois todas sao unifoliar e agora surge duas folhas como é isto sera que que pode me ajudar com esta duvida e me dizer auguma coisa sobre isto?Obrigado

    ResponderExcluir